A academia St. Vladimir não é um internato qualquer - é um lugar escondido onde os vampiros são instruidos em magia e em adolescência humana para protege-los. Rose Hathaway é uma Dhampir, uma guarda-costas para sua melhor amiga Lissa, uma Princesa Vampira de Moroi. Elas estavam fugidas, mas agora elas estão sendo arrastadas de volta para St. Vladimir - o único lugar onde elas estão em perigo. . . .Rose e Lissa ficam emaranhadas em um proibido romance, na cena social inumana da Academia, e cerimônias noturnas indizível. Mas elas devem ser cuidadosas para que os Strigoi - os mais ferozes e perigosos vampiros do mundo--faça de Lissa uma deles para sempre.





Depois do enorme - para não dizer gigantesco - sucesso da série Crepúsculo, livros e mais livros sobre vampiros surgiram nas livrarias e ainda mais apareceram em fóruns pela internet. Em cada livro, um novo “tipo” de vampiro é apresentado. O bonzinho que se recusa a chupar sangue é o mais freqüente, mas quase sempre há uma mortal que se envolve com um lindo e maravilhoso e incrível vampiro. Mas não foi para falar sobre as mocinhas que se apaixonam pelos vampiros que eu vim aqui hoje. No meio de toda essa febre um livro caiu em minhas mãos - ou no meu computador. “Vampire Academy” foi um livro que ficou quase um mês sem ser lido, até que num momento de tédio, peguei ele para ler. Sim, quando comecei não consegui mais parar. Vampire Academy é baseado em uma lenda sobre Strigois, Morois e Dhampirs.
Vamos clarear um pouco: Dhampir são meio humanos meio vampiros que não reproduzem entre si, por isso dependem da existência dos Morois para não entrarem em extinção. São fortes, tolerantes ao sol, mais bonitos também. Morois são os vampiros “bonzinhos” podem usar mágica - mas nada exagerado - se alimentam de sangue humano. São pálidos e sem muitas “curvas” no corpo. Strigois são os vampiros propriamente ditos. Matam suas vítimas para se alimentarem, são gananciosos, violentos, não podem usar mágica, e são imortais, diferente dos Morois ou Dhampirs. Strigois são feitos do jeito vampiresco de fazer. Morois e Dhampirs nascem.
Voltando... A história é narrada por Rose Hathaway, uma dhampir que é amiga da princesa Vasilisa Dragomir, ou Lissa. Rose leva as coisas de um jeito leve, mesmo quando elas ficam complicadas ela enfrenta. Nesse livro não há uma donzela em perigo e os personagens são mais “humanos”. Há erros, discussões, namoros, e muita ação. O livro não tem um único momento parado, há sempre algo na cabeça bizarra de Rose que prende cada vez mais o leitor.

Usei até a última reserva da minha força de vontade para não desmaiar na calçada. Meu corpo não queria correr depois de ter perdido tanto sangue e enquanto ainda metabolizava os efeitos da saliva dela. Mas eu ordenei aos meus músculos que parassem de reclamar e me agarrei à Lissa enquanto nossos pés se moviam pesadamente sobre o concreto. Em geral eu poderia correr mais rápido do que ela sem maior esforço — principalmente ela estando descalça —, mas, naquela noite, era ela quem me mantinha de pé.
Os passos que nos perseguiam foram ficando mais fortes, e chegando mais perto. Estrelas negras dançavam diante dos meus olhos. À nossa frente, eu pude distinguir o Honda verde de Jeremy. Meu Deus, se ao menos conseguíssemos chegar até lá...
A pouco mais de três metros do carro, um homem atravessou bem no meio do nosso caminho. Nós demos uma parada brusca, e eu puxei Lissa para trás pelo braço. Era ele, o sujeito que eu vira do outro lado da rua me observando. Ele era mais velho do que nós, com seus vinte e tantos, talvez, e parecia tão alto quanto eu o imaginara, teria provavelmente um metro e noventa ou noventa e cinco de altura. E, em outras circunstâncias — digamos, se ele não estivesse impedindo a nossa fuga desesperada — eu o teria achado lindo. Cabelos castanhos na altura dos ombros, presos atrás num curto rabo de cavalo. Olhos castanho-escuros. Um casaco longo marrom como os que os cavaleiros usavam, não exatamente uma capa de chuva. Um guarda-pó, eu achava que era esse o nome.


Vampire Academy foi o livro de estréia de Richelle Mead. Aclamado pela crítica ao redor do mundo, logo acabou ganhando uma continuação tão maravilhosa, ou mais quando o primeiro volume. “Frosbite” é o segundo livro dessa série, mas eu não vou comentar dele agora. Só lendo para entender o que é essa série. Leia você vai se apaixonar.
Ponto Forte: As reviravoltas e o final mais do que magnífico
Ponto Fraco: O tempo de espera entre um livro e outro

O livro foi lançado recentemente no Brasil pela editora Nova Fronteira com o nome de “O beijo das Sombras”